Segunda, 22 de Outubro de 2018

O Repórter

MP questiona Liesa por não ter rebaixado nenhuma escola no carnaval de 2018

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Redação... - 04 de abril de 2018 às 12:33

RIO (Agência Brasil) - O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) instaurou inquérito civil para apurar as razões do descumprimento do regulamento do desfile das escolas de samba do Grupo Especial no Carnaval de 2018. A medida tomada pela Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa do Consumidor e do Contribuinte da Capital foi motivada por denúncia contra a atitude adotada pela Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa), que não rebaixou nenhuma agremiação do grupo especial após a apuração do resultado dos desfiles deste ano, contrariando o regulamento.

A decisão de manter no grupo especial as escolas Acadêmicos do Grande Rio e Império Serrano foi tomada pela plenária da Liesa no dia 28 de fevereiro. Só a Mangueira e a Portela foram contrárias à anulação do rebaixamento das duas para a Série A.

Com o resultado, o Grupo Especial em 2019 terá 14 escolas de samba, incluindo a Unidos do Viradouro, que subiu da Série A. Este é o segundo ano consecutivo que nenhuma escola será rebaixada. Em 2017, a Paraíso do Tuiuti e a Unidos da Tijuca foram beneficiadas pela medida e permaneceram no Grupo Especial.

O Ministério Público expediu um ofício à Liesa para que se manifeste sobre o inquérito em no máximo 30 dias, esclarecendo as circunstâncias do não rebaixamento. A portaria reforça que é função institucional do Ministério Público, por meio de suas promotorias de Justiça, a defesa dos direitos difusos, coletivos e individuais homogêneos dos consumidores.

A Agência Brasil entrou em contato com a Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) sobre o questionamento do Ministério Público de nenhuma escola ser rebaixada no carnaval de 2018 e aguarda resposta.

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Deixe seu comentário
Mensagem: