Quinta, 26 de Abril de 2018

O Repórter

Manifestações contra Lula são realizadas nas principais capitais do Brasil

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Redação... - 03 de abril de 2018 às 21:30
Reprodução/Facebook/Vem Pra Rua
A Avenida Paulista recebeu os manifestantes contra Lula

RIO (OREPORTER.COM) - Manifestações pela prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foram realizadas em várias partes do país nesta terça-feira (3). A motivação é o julgamento do habeas corpus preventivo pelo Supermo Tribunal Federal (STF) previsto para quarta. Vale lembrra que, desde a aceitação do caso, o ex-mandatário não pode ser preso pela condenação feita pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), fato este que motivou o agendamento dos protestos pelo país.

Participaram da organização dos protestos os movimentos Vem Pra Rua, Brasil Livre (MBL) e Nas Ruas, os mesmos que convocaram as manifestações pelo impeachment de Dilma Roussef em 2015 e em 2016.

Em São Paulo, a Avenida Paulista foi o palco das manifestações. Já no Rio, a Avenida Atlância, na Praia de Copacabana, recebeu os manifestantes.

Os protestos foram realizados também em Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, Curitiba, Brasília, Brasília, Campinas (SP), Vitória, Cuiabá, Criciúma (SC), etc.

Em comum, gritos e cartazes contra o STF e o ex-presidente Lula. O famoso "Pixuleco", o boneco que coloca o petista como presidiário, apareceu em algumas cidades. No Rio, um bandeirão foi colocado na Avenida Atlântica. Já em Porto Alegre, bonecos representando os ministros da Superma Corte foram expostos ao público.

Condenação contra Lula

O juiz Sérgio Moro considerou Lula culpado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro nos valores relacionados ao triplex do Guarujá, cujo imóvel é relacionado à proprina através de contratos da empreteira OAS com a Petrobras. A sentença foi dada em julho de 2017. Já o TRF-4 aumentou a pena de 9 para 12 anos de prisão.

A defesa do ex-presidente chegou a recorrer na segunda instância, mas também fez um pedido de habeas corpus preventivo ao STF. No dia 22 de março, o Supremo Tribunal Federal decidiu que Lula não poderia ser preso até o julgamento do habeas corpus - adiado para o dia 4 de abril. O fato causou a convocação dos protestos.

No dia 26, o TRF-4 negou, por unanimidade, o recurso contra a condenação de Lula. Porém, com a indefinição do destino do habeas corpus preventivo, Lula segue em liberdade.

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Deixe seu comentário
Mensagem: