Terça, 24 de Outubro de 2017

O Repórter

Incubus relembra o rock alternativo dos anos 90 no Rock in Rio

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Ralph Guichard - 23 de setembro de 2017 às 20:54
Adriano Ishibashi/OReporter.com
Sérgio Britto pediu para que o público cantasse a última música como protesto aos políticos

RIO (OREPORTER.COM) - Em uma noite de Rock in Rio onde as expectativas são enormes para shows das bandas The Who e Guns N' Roses, coube aos Titãs a missão de abrir o Palco Mundo. Os veteranos brasileiros não deixaram a desejar e imprimiram o melhor do rock nacional, colocando o público para cantar e, como já vem sendo de costume nesta edição, protestar contra a política atual.

A tendência de que o show teria, mais do que nunca, um tom de protesto, já veio logo na abertura, quando Tony Bellotto solou na guitarra "O Guarani", de Carlos Gomes, vinheta da tradicional "Voz do Brasil", obrigatória em todas as rádios do país. A partir daí, o repertório conquistava os fãs com canções conhecidas da banda, como "Televisão", "Sonífera Ilha" e "Cabeça Dinossauro". Sobrou espaço, ainda, para outras músicas menos conhecidas do grande público, como "Doze flores amarelas" e a recente "A festa". Por outro lado, com um setlist bem equilibrado, os hits não demoraram a reaparecer e a apresentação seguia em alta.

Para encerrar o primeiro show de Branco Mello, Sérgio Britto e Tony Bellotto no Rock in Rio sem Paulo Miklos, que deixou o grupo para fazer carreira solo no ano passado, o grupo ousou e apostou em "Vossa Excelência", de 2006, que até então era pouco cantada nos grandes festivais. Com uma letra forte e xingamentos a diversas esferas de governo, no entanto, a obra acabou caindo no gosto popular, fazendo com que o povo cantasse bastante até o encerramento do show.

Ainda sobe ao Palco Mundo nesta noite as bandas Incubus, The Who e Guns N' Roses.

Tags:
rock in rio, titãs
  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Deixe seu comentário
Mensagem: