Terça, 16 de Janeiro de 2018

O Repórter

Naira Amorelli

Profissional na área de Turismo, Marketing e Mídias Sociais, graduada em Gestão e Planejamento de Turismo e Agências de Viagens. É Gestora, Consultora, Agente de Viagens formada, Guia de Turismo, credenciada pelo Ministério do Turismo (MTUR), e já atua na área de Turismo há mais de 15 anos.
Naira Amorelli

Redescobrindo o Rio de Janeiro

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Naira Amorelli - 24 de agosto de 2013 às 17:53
Fotos: divulgação
Projeto Porto Maravilha promete revitalizar a zona portuária da cidade

Voltando de viagem, sempre me impressiono com a beleza da Cidade Maravilhosa e não me canso de encher de elogios o meu querido Rio de Janeiro. Hoje vou aproveitar esse sentimento de carinho profundo e vou falar um pouco sobre uma região que está em amplo desenvolvimento, mas que há tempos me encantou e esse pedacinho do Rio merece e precisa ser mais conhecido inclusive pelos cariocas.

A zona portuária do Rio está passando por um amplo processo de revitalização, tendo inclusive novas atracões sendo inauguradas enquanto outras vão sendo descobertas. Um bom exemplo de descoberta nesta região foi no local onde fica  o Cais do Valongo que em 2011 teve todo o calçamento e diversos achados arqueológicos escavados e catalogados e outras peças ainda vão sendo encontradas ao longo deste processo de revitalização. 

Construído em 1811, o Valongo desembarcou mais de meio milhão de escravos antes de ser modificado para receber a imperatriz Teresa Cristina, em 1843, e desaparecer quase totalmente em 1911.



Outra jóia desta região em amplo processo de redescobrimento é o pitoresco largo de casas extremamente simples que parece ter brotado de uma imensa pedra que assenta a viela. A Pedra do Sal que fica bem na base do Morro da Conceição, foi o ponto de desembarque do sal pelos escravos e é um importante monumento histórico da nossa cidade. Tendo sido tombada em 1984 pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural, a região, que fica bem perto do Largo da Prainha é de extrema importância para a cultura negra carioca onde encontramos inclusive, a Comunidade Remanescente de Quilombos da Pedra do Sal. Essa é uma região carregada de história, mas também de boa música onde os amantes do samba e do choro se deliciam nas animadas noites de segunda-feira  na roda das segundas. Vale lembrar que esta região era muito frequentada por verdadeiros mestres do samba como Donga, Pixinguinha e Heitor dos Prazeres.

E já que falamos da Pedra do Sal, vamos continuar subindo e seguir para o Morro da Conceição. Não vou negar que esta é, para mim, uma das áreas mais bonitas e historicamente rica e apaixonante da região portuária. Perdoem-me pelo tom tendencioso portanto. 

O Morro da Conceição pode ser considerado como um verdadeiro oásis no barulhento centro do Rio. Suas ruas de paralelepípedos, sobrados coloridos, crianças correndo pra lá e pra cá e muito vizinhos na calçada conversando são uma visão de verdadeiro alento para qualquer pessoa que teve a oportunidade de viver algo parecido na sua infância. Coisas que os tempos modernos praticamente não nós permitem mais. Passear pela região é uma delicia, mas exige uma certa condição física propícia já que o sobe e desce é constante. Parar nas biroscas e tomar algo para refrescar e experimentar os petiscos são fundamentais para vivenciar o belo passeio á moda carioca. Se permita esta experiência que você não vai se arrepender.



A construção mais emblemática da região é a Fortaleza da Conceição que foi construída em 1713 e por possuir localização estratégica  pôde oferecer uma ampla visão da entrada da Baía de Guanabara.  Foi nesta Fortaleza que funcionou e funciona até hoje o primeiro Palácio Episcopal do Rio de Janeiro. Lá funciona também o Museu cartográfico da cidade. Na sua visita a este belo monumento arquitetônico e histórico, não deixe de conhecer as masmorras onde os líderes da Inconfidência Mineira ficaram aprisionados. Não deixe também de apreciar uma das vistas mais lindas da cidade. É emocionante, pode acreditar.



E já que falamos de museu, que tal aproveitar para conhecer o MAR? O Museu de Arte do Rio está classificado como uma das mais festejadas obras de restauração de prédios históricos na região. Dois edifícios de épocas bem diferentes, um modernista e outro eclético conectados por uma cobertura contemporânea e uma passarela abrigam muita história e cultura nacional. Não deixe de conferir as exposições permanentes e itinerantes do MAR.

O Rio de Janeiro, só pra variar, continua encantando turistas e deixando os cariocas ainda mais orgulhosos de suas descobertas. E ainda vem mais por aí.

Fortaleza de tantas alegrias

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Naira Amorelli - 17 de agosto de 2013 às 12:59
Fotos: divulgação

Terra boa de viver. Essa é a constatação que fazemos ao desembarcar no Ceará, logo nos primeiros contatos com o povo local. Que delícia de lugar, que delícia de pessoas, que delícia de praias, que delícia de comidinhas e bebidinhas, que delícia... Tá bom, vou parar de me rasgar em elogios e vou contar um pouquinho de minha viagem e dar algumas dicas legais. Prontos? Vamos lá.

A porta de entrada do Ceará é Fortaleza e de lá várias rotas são oferecidas para os mais variados perfis de viajantes. Mas veja bem, você tem que tirar alguns dias para curtir Fortaleza sem titubear. Acredite em mim, existem lugares lindos e super especiais para visitar.

Como eu sempre costumo reforçar sou adepta de ao chegar a uma cidade fazer um city-tour tradicional mesmo. Rodar a cidade na companhia de um guia credenciado para me mostrar os principais pontos turísticos é básico, pois sei que dali eu vou pinçar uns lugares bem bacanas para voltar depois com mais calma e no meu tempo. Além do Centro Histórico com suas principais construções, eu separei algumas dicas de lugares que você não pode deixar de conhecer.

O Parque do Cocó que é o maior Parque Ecológico urbano da América Latina é um belo exemplo para começarmos. Com uma área de preservação ambiental muito legal, além de várias trilhas com guias, quadras, passeios de barco e espaço para shows e eventos que sempre rolam na região, esse é o ponto ideal para quem quer dar uma relaxada e curtir um lugar muito bonito.



Outro lugar imperdível em Fortaleza é o Centro Cultural Dragão do Mar. Imagine uma construção imensa toda dedicada à cultura e no seu entorno barzinhos e lugares descolados para curtir uma comidinha daquelas de deixar qualquer um querendo mais. Lojinhas de artesanato para comprar lembranças também ficam ali por perto. Se bem que para compras, eu prefiro indicar o Mercado Central que é um ESPETÁCULO para consumistas como é meu caso. Mas voltemos ao Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura que depois eu falo mais do Mercado. Lá no CDMAC existem vários espaços destinados a diferentes atividades onde a difusão da arte e da cultura são a bandeira principal. Biblioteca, Museu, Planetário, Cinema, tudo concentrado em um mesmo espaço muito bem arquitetado que flui como um convite para visitar absolutamente tudo. E vale muito á pena, acredite. Na última vez que estive lá, no térreo estava rolando um festival de street dance muito bacana com a galera local. Tudo em um clima super informal, descontraído e com a cara de Fortaleza, gostoso.



Agora vamos falar mais do Mercado Central para não deixar passar uma dica boa para quem gosta de artesanato e comidinhas. O mercado é repleto de lojinhas com o melhor de tudo que a região oferece e com preços super justos. Claro que tem coisas um pouco surreais, já que em várias lojas o valor não fica fixo no produto e o lojista vende de acordo com a cara do cliente, tem que ter atenção e “cavucar” para não pagar caro á toa. Aconteceu comigo algo assim, comprei uma toalha de renda lindíssima numa loja e poucos metros á frente encontrei a mesma toalha por 40% a menos  do que eu havia comprado. Ô raiva!! Então a dica pode parecer batida, mas é super válida: dê uma volta antes, para encontrar preços legais, pegue o cartão das lojas que você curtiu alguma coisa e volte depois com a cabeça mais tranquila. Rendas (roupas de cama e mesa e roupas de vestir mesmo), vestidinhos e blusas, roupas de praia, bolsas, bijus, doces e demais guloseimas são apenas alguns dos itens mais populares e com preços bem bacanas que você vai encontrar por lá. Outra dica básica: compre uma bolsa de viagem extra para trazer tudo, você vai precisar.

Agora uma dica de hospedagem que vai te ajudar bastante: procure ficar na praia de Iracema ou Meireles que são mais práticas e bem localizadas. Em Iracema o preço dos hotéis costuma ser um pouquinho mais baixo. Dali você pode caminhar pela Beira Mar e tirar altas fotos na Ponte dos Ingleses e do monumento de Iracema a qualquer hora do dia e á noite ainda pode curtir uma feirinha muito interessante. Ali também ficam os melhores restaurantes, bares descolados, cafés e sorveterias da capital. Realmente a localização é muito boa. Embora a praia do futuro seja mais legal para quem curte ondas, o local é bem mais afastado e principalmente á noite é mais delicado para chegar. Alguns táxis até se recusam a ir para lá depois de certo horário. Entre ficar lá por causa das ondas de dia e ficar para o outro lado, mais urbano, eu prefiro ficar com o lado mais badalado mesmo.



A gastronomia do Ceará é riquíssima em peixes e frutos do mar e seus temperinhos, ai que delícia! Eu diria para você experimentar de tudo um pouco, mas pergunte ao garçom sobre o preparo dos pratos se você tem alguma restrição principalmente á temperos fortes. Os doces são uma coisa de louco, santa criatividade desse povo. Quilos extras?? Relaxe já que são inevitáveis.

Outra coisa imperdível que o Ceará sabe produzir em larga escala e com uma qualidade indiscutível são os humoristas, e em Fortaleza é possível encontrar um bom show de humor a cada “esquina”. Não deixe de reservar ao menos uma noite para sentar em um restaurante para se deliciar com o melhor da gastronomia e se acabar de rir. Até hoje nos lembramos da noite do show de humor que assistimos e não há coisa mais gostosa do que reunir bons momentos na sua lembrança.