Naira Amorelli | Coluna | O Repórter | Informação de Verdade na Internet
Domingo, 19 de Agosto de 2018

O Repórter

Naira Amorelli

Profissional na área de Turismo, Marketing e Mídias Sociais, graduada em Gestão e Planejamento de Turismo e Agências de Viagens. É Gestora, Consultora, Agente de Viagens formada, Guia de Turismo, credenciada pelo Ministério do Turismo (MTUR), e já atua na área de Turismo há mais de 15 anos.
Naira Amorelli

Cruzeiros marítimos - dicas para evitar gafes a bordo

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Naira Amorelli - 14 de novembro de 2013 às 13:59
arquivo pessoal / Naira Amorelli

Com a temporada de cruzeiros marítimos no Brasil já iniciada, até abril de 2014, onze navios vão passar pela costa brasileira, e é muito comum que surja uma série de dúvidas para os marinheiros de primeira viagem e não  custa nada prestar um pouquinho de atenção a alguns detalhes super simples para facilitar sua viagem e fazer você figurar bem bonito entre os mais descolados marinheiros já habituados a este tipo de viagem.

Viajar de navio é uma forma de conhecer diferentes lugares gastando menos. O fato é que o custo de uma viagem de navio costuma ser menor que um pacote com hospedagem e transporte para a maioria dos destinos oferecidos pelas operadoras de turismo e grande parte deles passa por mais de uma cidade ou país.

A cada ano, novos viajantes se aventuram a bordo de um transatlântico e é natural que os marinheiros de primeira viagem cometam algumas gafes por pura falta de conhecimento. Por isso, destacamos as dicas da professora Lecy Cirilo Orsi, do curso de Turismo da faculdade Anhembi Morumbi, de São Paulo, para que situações constrangedoras não transformem a viagem dos seus sonhos em pesadelo e tudo vá por água abaixo.

1 – Capriche na escolha do seu cruzeiro

Existem várias opções de cruzeiros temáticos, ou seja, sua programação é voltada para quem gosta de rock, mpb, esporte, vinhos, chocolates ou romance. É muito importante dar atenção a isso na hora de escolher a viagem. Imagine uma pessoa que sofre de problemas com controle de peso em um navio com a temática gourmet ou com degustação de chocolates? Problema certo!
 
2 – Nem sempre ter tudo incluso é a melhor opção

Para a galera mais jovem o sistema all inclusive pode ser uma boa pedida, já que algumas bebidas alcoólicas são servidas  à vontade. Já quem tem preferência por opções mais exclusivas de bebidas, deve optar pelo sistema simples e assim ele vai poder consumir a bebida que desejar separadamente. Depende muito do seu perfil.  

3 – Cabines

Geralmente elas são bem planejadas e divididas na medida certa para que você tenha o básico. Por isso mesmo, nada de levar malas gigantescas e um monte de tranqueiras desnecessárias.

4 – Bagagem de mão

É muito comum que a bagagem demore um pouco para chegar na sua cabine, sendo assim, seja prevenido e prepare uma malinha básica com roupa para trocar logo ao embarcar. Assim, se você quiser curtir uma piscina ou fazer qualquer outra atividade não terá que esperar por horas para trocar de roupa.

5 – Fique muito atento aos procedimentos de segurança

Aquele treinamento de abandono, que acontece logo depois que o embarque é encerrado, é um momento importante e levado a sério pela tripulação. Por isso, largue de lado tudo que está fazendo e preste muita atenção nas orientações. Pode parecer até engraçado na hora que você tem que vestir aquele chamativo colete laranja, mas lembre-se: ele pode salvar a sua vida e a de muitas outras pessoas.
 
6 – Seja pontual nas refeições

Os restaurantes dos navios são bem menores do que se imagina e a capacidade deles é menor que o volume de viajantes, por isso as refeições são feitas em dois turnos. Ao embarcar, em sua cabine você terá que escolher o horário de suas refeições. Isso costuma acontecer como uma pré-reserva logo no momento da compra do pacote, quando o agente questiona sua preferência de horário. Se você estiver no primeiro turno é primordial que não se atrase. Lembre-se: outra pessoa precisará ocupar sua mesa em seguida. Seja realmente pontual e você não vai ter problemas. Já vi pessoas ficarem sem jantar por conta de pequenos atrasos.

7 – Informe-se sempre

Para não perder tempo é sempre importante ler o jornal de bordo que será distribuído toda noite com a programação do dia seguinte. Assim, você vai poder optar pelas várias atividades em bordo e em terra. Claro que você não tem obrigação de fazer tudo, mas poderá encontrar boas opções para curtir a viagem. Geralmente nesta mesma publicação você vai encontrar dicas bacanas sobre momentos ‘imperdíveis’ e assim vai ficar ainda mais ligado.
 
8 – Trajes formais   

A maioria das companhias oferece o famoso Jantar do Comandante que nada mais é que uma festa de gala ou apenas um pouco mais formal, dependendo do perfil do cruzeiro que você escolheu. Por isso é tão importante ter roupas mais compostas e luxuosas para esta noite. Rapazes, não esqueçam o terno e meninas, um belo vestido longo bem comportado cai super bem.
 
9 – Se vista adequadamente e com bom senso

Não é nada elegante usar trajes de banho nas áreas internas do navio, com exceção da área da piscina e sauna. Em vários navios você poderá ser advertido, inclusive. Tenha com você sempre uma roupinha fresquinha para jogar por cima.
 
10 – Contratar o tour em terra x bater perna sozinho

Ainda no navio serão oferecidas algumas opções de passeios que você poderá participar pagando a parte, claro. Se preferir, você poderá passear por conta própria sem problemas, mas neste caso, fique de olho no relógio e volte dentro do horário estabelecido. Caso contrário, você pode correr o risco de ficar para traz.
 
11 – Livre-se do famoso enjoo

Se você nunca viajou de navio e por conta disso não sabe se tem alguma pré-disposição para ficar enjoado, a dica é simples: nada de líquidos, nem mesmo água. Se você começar a se sentir mareado, comer uma maçã ou um pedaço de pão puro, sem nada mesmo, é infalível. É muito importante que você não fique na cabine, nessas horas o vento no rosto ajuda muito e ficar ao ar livre vai te beneficiar. É importante também que você se ocupe para não prestar atenção a movimentos, dessa forma seu corpo aos pouquinhos vai se acostumando e se ainda assim o enjoo não passar, lance mão dos remedinhos para enjoo que você CERTAMENTE já se preveniu em comprar com antecedência, certo?

12 – Cuidado com os cassinos a bordo

Para a grande maioria dos brasileiros isso pode parecer uma novidade tentadora e por isso mesmo deve ser bem observada. Nada de se empolgar e jogar além de suas possibilidades. Vale lembrar que enquanto o navio estiver atracado, nada de jogos, já que os cassinos só serão abertos em alto mar.

13- Free shops, o paraíso dos consumistas

Para quem costuma aproveitar as viagens para renovar seu armário ou dar um up nos seus eletrônicos, esse pode ser um bom momento para se jogar nas promoções, mas vá com calma e segure seu impulso para não comprar nada além do que realmente vai precisar, ok.

Agora é só aproveitar e ficar atento para não deixar de curtir tudo que você puder. Excelente viagem para você!

O que é que a Baiana tem?

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Naira Amorelli - 25 de outubro de 2013 às 11:51
Alex de Souza / Agência O Repórter
FAROL DA BARRA - Um dos pontos de visitação quase obrigatória para quem vai a Salvador

Com o verão chegando, fica ainda mais latente um dos diferenciais do povo baiano. Alguns dizem que a Bahia vive de festa e fé e isso se comprova com o extenso calendário dos festejos populares que acontecem o ano todo, incluindo as festas juninas. As manifestações folclóricas, de diversas origens, proliferam com exibições ao ar livre de capoeira, maculelê e samba de roda. Milhares de pessoas vão às ruas celebrar os santos padroeiros. Além de popular, as festas se caracterizam pelo sincretismo religioso e pela mistura de elementos sagrados e profanos. A fé do baiano se manifesta no ciclo de festas populares, desde as comemorações dos orixás do candomblé, quando todos os terreiros da cidade batem seus tambores para os filhos de santo dançarem, até as festas da religião católica, que ganham um cunho profano com muita música, dança e barracas que servem bebidas e comidas variadas. O clima de festa impregna, mas a programação se intensifica no início de dezembro, quando, no dia 4, tem início o ciclo (com a Festa de Santa Bárbara) que encontra seu ápice na Lavagem do Bonfim, na Festa de Iemanjá e no Carnaval.


As históricas ladeiras do Pelourinho ficam lotadas nas grandes festas de Salvador - Foto: Alex de Souza / Agência O Repórter

Confira algumas das festas mais populares da Bahia e quando elas acontecem para você planejar sua viagem e quem sabe curtir alguma festa bacana por lá.

Novembro     
Festival da Primavera de Morro de São Paulo
Local: Morro de São Paulo/Cairu
Três dias de cultura, música, diversão e consciência ambiental. O festival, que este ano  entra em sua quarta edição, reúne sempre música de qualidade, belas praias e natureza na Ilha de Tinharé, município de Cairu.  Nomes como Lenine, Nando Reis, Maria Gadú e Vanessa da Mata já passaram pelos palcos do festival.  

2 de dezembro
Dia do Samba
Local: Salvador – Centro Histórico
Comemora-se o Dia Nacional do Samba. Instituído pela Câmara de Vereadores de Salvador, em 1940, foi parte das homenagens ao compositor Ary Barroso, que um ano antes lançara Aquarela do Brasil, a música mais conhecida, executada e regravada fora do Brasil. Todos os anos há show comemorativo do Dia do Samba, em praça pública, no Terreiro de Jesus, localizado no Pelourinho.

4 de dezembro
Festa de Santa Bárbara
Local: Salvador – Centro Histórico
Santa Bárbara é uma das divindades mais cultuadas na Bahia. Todo dia 4 de dezembro milhares de baianos assistem a missas e fazem carurus em casa para reverenciá-la. Atualmente, as homenagens à santa duram três dias e iniciam-se com uma missa na Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, no Pelourinho, onde fica exposta a sua imagem. Em seguida, uma procissão percorre as ruas do Centro Histórico, passando em frente ao quartel do Corpo de Bombeiros. Durante o encerramento da festa religiosa, ocorre a distribuição do tradicional caruru, preparado por voluntários e servido de graça, sempre acompanhado de muito samba de roda e capoeira.

8 de dezembro
Festa da Conceição
Local: Salvador – Comércio
Tradicional festa de Largo, nas imediações do Mercado Modelo, com barracas de comidas típicas e bebidas, unindo a profana alegria do baiano à sagrada devoção religiosa. Os festejos começam ainda no final de novembro, com a novena que acontece todas as noites na Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia, no Comércio. A celebração envolve uma missa campal e procissão. Paralelamente, ocorre a tradicional festa de largo, nas imediações do Mercado Modelo, com barracas de comidas típicas e bebidas, unindo a profana alegria do baiano à sagrada devoção religiosa.

31 de dezembro
Réveillon de Porto Seguro
Local: Porto Seguro
Um dos melhores destinos para turistas que gostam de badalação, a cidade de Porto Seguro tem uma grande festa de Réveillon com hotéis e pousadas lotados na semana da virada. A festa atrai mais de 100 mil pessoas. Porto seguro é um local de diversão dia e noite, com muita festa nas praias e quiosques, além dos hotéis e pousadas.

1º de janeiro
Procissão Nosso Senhor dos Navegantes
Local: Salvador – Baía de Todos-os-Santos
Tradicional celebração popular, a festa tem origem portuguesa, datando de 1750. O evento inclui duas procissões marítimas: a primeira, no dia 31 de dezembro, faz o percurso Largo da Boa Viagem/Basílica da Conceição da Praia; a segunda, no dia 1º de janeiro – uma das mais populares da cidade – conta com centenas de embarcações acompanhando a Galeota Gratidão do Povo, que conduz a imagem de Nosso Senhor dos Navegantes pelas águas da Baía de Todos-os-Santos, desde o cais do Segundo Distrito Naval até a praia da Boa Viagem. O evento é precedido por tríduo, missa solene e festa de largo, que se transforma em um verdadeiro Réveillon popular na noite de 31 de dezembro e 1º de janeiro.

3 a 6 de janeiro
Festa da Lapinha – Apresentações de Ternos de Reis e Missa na Igreja
Local: Salvador – Largo da Lapinha
Festa tradicional de origem portuguesa, simboliza a visita dos Reis Magos ao Menino Jesus. A programação é composta de celebração de missas, no dia 6 de janeiro, visitação ao presépio no interior da Igreja da Lapinha, festa de largo e apresentação de “Ternos de Reis”. Além do presépio vivo, muitas barraquinhas são armadas para se vender comidinhas e bebidinhas típicas.

2ª quinta-feira após a Festa de Reis
Lavagem do Bonfim
Local: Salvador – Conceição da Praia ao Largo do Bonfim
Na sequência de festejos destaca-se a Lavagem do Bonfim, uma quilométrica procissão, com todos vestidos de branco, entre a igreja da Conceição da Praia e a do Bonfim, no alto da Colina Sagrada. Todos os anos, cerca de 800 mil pessoas participam da procissão. As baianas, que abrem o cortejo, despejam seus vasos com água de cheiro no adro da igreja e sobre as cabeças dos fiéis, num ritual de fé e esperança.

2 de fevereiro
Festa de Yemanjá
Local: Salvador – Rio Vermelho
Pescadores e fiéis festejam em cortejo marítimo,  que segue para o mar á partir das 16h, em inúmeros barcos, conduzindo flores e outros presentes para a Rainha das Águas.  Esta é uma das maiores manifestações religiosas públicas do candomblé. As ruas do bairro do Rio Vermelho ficam tomadas de pessoas que se aglomeram para assistir à saída das embarcações com as oferendas. Evento que se realiza desde 1974, organizado pelos pescadores da colônia de pesca do bairro.

Fevereiro ou março
Carnaval
Local: Salvador
Dentro dos blocos de trio, na “pipoca” em meio à multidão, ou nos luxuosos camarotes, o folião vive experiências que elevam a sua adrenalina e contentamento a um limite nunca antes atingido. Nos seis dias de uma festa praticamente ininterrupta, os grandes nomes de nossa música reúnem-se nos 26 km de ruas e avenidas da cidade, a bordo de seus trios e envolvidos por seus blocos, acionando as engrenagens de uma imensa fábrica de sonhos. O carnaval de Salvador cresceu tanto que hoje se distribui simultaneamente em três circuitos da cidade: Dodô (Barra-Ondina), Osmar (Campo Grande) e Batatinha (Centro Histórico).

25 de fevereiro a 10 de abril
Penitentes
Local: Juazeiro
Todos os anos, no período da Quaresma, entre a Quarta-feira de Cinzas e a Sexta-feira da Paixão, alguns fiéis realizam o ato da penitência. Esse grupo, chamado de Penitentes, veste-se com lençóis brancos e percorre várias igrejas, cruzeiros e o cemitério da cidade, rezando pelas almas dos mortos. Os Penitentes são divididos em dois grupos: os Alimentadores de Alma, que fazem orações pelas almas e chacoalham um instrumento chamado de matraca; e os Disciplinadores, que durante o ato de penitência se martirizam com chicotes providos de lâminas na ponta, causando cortes por todo o corpo, derramando sangue, com o objetivo de reduzir os pecados.

Março / Abril
Domingo antes da Páscoa
Procissão de Ramos
Local: Salvador
Assim como a manifestação realizada no dia 8 de dezembro, a Procissão de Ramos também homenageia Nossa Senhora da Conceição da Praia. Os ramos empunhados pelos devotos são, no entanto, o grande diferencial dessa manifestação de fé, que assinala, de forma marcante, o início da Semana Santa, reproduzindo a chegada de Jesus a Jerusalém. O público supera a marca dos 10.000 fiéis, causando um grande movimento no percurso que vai do Campo Grande até a Praça Municipal, no Centro Histórico de Salvador.

Junho
23 e 24 de junho
São João da Bahia
Local: em toda a Bahia
A Bahia é conhecida como a terra do carnaval, mas o estado também tem outra grande festa, que movimenta as suas 417 cidades: o São João.  As atrações vão desde grupos regionais até atrações nacionais, sem contar com as diversas manifestações populares como a quadrilha, brincadeiras e comidas típicas. É uma homenagem a São João Batista, primo de Jesus Cristo, nascido a 24 de junho. Ele era considerado duro, inflexível, reservado e, às vezes, muito severo. Segundo a crença popular, a tradição deve-se a um pacto entre Nossa Senhora e Santa Isabel, mãe de João Batista. Delas, quem tivesse o primeiro filho acenderia uma fogueira à porta.

Então, você já sabe, se está programando uma viagem para a Bahia, tente se encaixar em alguma festa e aproveite o melhor da Bahia. Axé e até a próxima!