Sábado, 21 de Setembro de 2019

O Repórter

AACD lança a edição 2019 do Teleton

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Redação... - 03 de setembro de 2019 às 22:57
AACD/Divulgação

SÃO PAULO (OREPORTER.COM) - A AACD divulgou os detalhes da edição 2019 do Teleton, campanha solidária realizada há 22 anos para arrecadação de fundos à entidade. Assim como em todos os anos, o SBT recebe o evento ao vivo, marcado para os dias 25 e 26 de outubro.

Para este ano, a AACD busca arrecadar R$ 30 milhões. os valores serão revertidos à manutenção de sua estrutura, que  conta com nove unidades localizados nos estados de São Paulo, Pernambuco, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, além de cinco oficinas ortopédicas e um hospital ortopédico. Todos os anos são realizados 200 mil atendimentos, sendo a maior parte deles via SUS, ou seja, sem nenhum custo para os pacientes.

As doações já podem ser feitas pelo site teleton.org.br. A partir do dia 29 de setembro estarão disponíveis os seguintes telefones: 0500 12345 05 (doações de R$ 5), 0500 12345 20 (R$ 20), 0500 12345 40 (R$ 40) e 0800 770 1231 (outros valores). Também haverá o SMS 30265 disponível para doações, bastando escrever a palavta Teleton na mensagem. O canal 254 da NET servirá para doações de R$ 10, R$ 20 e R$ 40.

"Acreditamos na solidariedade do brasileiro e estamos trazendo diversas inovações para o processo de doação, que agora fica mais simples, prático e rápido. Ao ampliar os canais e possibilidades nós acreditamos que mais pessoas poderão se engajar na causa da pessoa com deficiência, o que é fundamental para continuarmos levando uma vida digna e plena aos nossos milhares de pacientes", diz Edson Brito, superintendente de Marketing e Relações Institucionais da AACD.

Neste ano, uma "Liga Extraordinária", composta por três pacientes da Instituição será a os responsável por representar a AACD durante a campanha. São eles: Paulo Sergio Dias da Silveira, de 42 anos, Rayssa da Conceição Albieri, de 10 anos, e Gabrielly Valentim Gomes, de 4. "Essa mudança reflete a realidade do amplo trabalho que realizamos no Brasil. Escolhemos pessoas de idades distintas para reforçar que a AACD hoje atende crianças, jovens e adultos", destaca Brito.

Paulo Sergio Dias da Silveira é paranaense e contraiu poliomielite com 11 meses de idade. É ator, músico e contador de histórias infantis. Chegou à unidade da AACD, em São Paulo, em 2019. "As expectativas triplicaram desde que eu entrei aqui. Achei que iria fazer apenas uma reabilitação fisíca, mas quando percebi, a AACD estava me apoiando em vários outros pontos da minha vida", conta. "Graças à AACD vou poder tirar minha primeira habilitação e entendi mais sobre a polio. Com toda certeza, eu vou sair daqui mais preparado para a vida".

Rayssa da Conceição Albieri tem má formação congênita diagnosticada ainda na gravidez de sua mãe. Nasceu com as mãos voltadas para o peito, os joelhos dobrados para frente e o quadril descolado. Chegou na AACD com um mês de vida. Foi na instituição que Rayssa e a família encontraram esperanças para uma vida normal. "No futuro penso em concorrer a uma bolsa de estudos, fazer uma faculdade de medicina pediátrica nos Estados Unidos e voltar ao Brasil para ser pediatra", revela a jovem.

Gabrielly Valentim Gomes, a caçula da Liga, tem má formação congênita revelada no quarto mês de gestação. Ao nascer, foi diagnosticada com Hemimelia tibial (falta da tíbia, que é o osso da perna) e um dedo a mais em cada pé. Chegou na AACD com 8 meses, passou por uma amputação e recebeu a prótese e todo apoio na reabilitação. "AACD é um apoio para qualquer mãe e nossa segunda casa desde que ela nasceu", revela Meire Valentim, mãe da Gabi.

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Deixe seu comentário
Mensagem: