Segunda, 11 de Novembro de 2019

O Repórter

Brasil encerra campanha histórica no Parapan com 308 medalhas

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Redação... - 01 de setembro de 2019 às 19:30 (Atualizada em 01 de setembro de 2019 às 20:41)
Saulo Cruz/Exemplus/CPB
Lauro Chaman foi ouro no ciclismo

LIMA, PER (OREPORTER.COM) - Terminaram neste domingo (1), os Jogos Parapan-Americanos de Lima, no Peru. A delegação brasileira encerrou sua campanha com maior número de medalhas conquistadas na história da competição. Foram 308 pódios, entre as quais 124 de ouro, 99 de prata e 85 de bronze. Nenhum outro país conquistou tantas medalhas em uma única edição dos Jogos.

“Foi uma competição desafiadora e, certamente os Jogos Parapan-Americanos mais difíceis que o Brasil já disputou. Foi uma campanha memorável do Brasil. Nossos atletas lograram mais êxitos do que nós prevíamos ou imaginávamos”, comentou Mizael Conrado, presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB).

A última medalha veio no ciclismo, com o paulista Lauro Chaman. Ele foi ouro na prova de resistência no ciclismo de estrada. É a terceira medalha dele em Lima - já havia conquistado um ouro na perseguição individual de pista e uma prata no contrarrelógio de estrada. 


Lauro na disputa do ciclismo (Foto: Saulo Cruz/Exemplus/CPB)

Neste domingo (1), o Brasil disputou as provas de ciclismo, bocha e badminton. Além de Lauro, Márcia Fanhani e a piloto Cristiane Pereira conquistaram o quarto pódio em Lima 2019. A dupla foi terceira colocada na prova de resistência de estrada, categoria B, atrás apenas de duas duplas canadenses. Elas já haviam medalhado no contrarrelógio e na perseguição individual de pista, além do contrarrelógio de estrada.

Também no ciclismo, Eduardo Pimenta, foi ouro na classe H3 da resistência do ciclismo estrada. Ele completou o percurso em 2h00min10, com quase três minutos de vantagem para o segundo colocado, o americano Brandon Lyons (2h02min58). O argentino Oscar Biga ficou com o bronze (2h03min17). 

No encerramento da bocha, o Brasil foi ouro na classe BC3 (Evelyn Oliveira, Mateus Carvalho e Antônio Leme), com vitória sobre o Canadá por 4 a 3 na final. Houve, ainda, duas pratas: equipe BC2/BC1 (Maciel Santos, Natali de Faria, José Carlos Oliveira e Guilherme Moraes) foi superada pela Argentina, assim como a BC4 (Eliseu dos Santos, Marcelo dos Santos e Ercileide Laurinda). A modalidade fechou a participação em Lima com sete pódios: três ouros, três pratas e um bronze.

Ricardo Cavalli e Abinaecia Silva ficaram com o bronze nas duplas mistas SL3-SU5 do badminton, superados pelos canadenses Pascal Lapointe e Olivia Meier por 2 sets a 1 (21-16, 18-21 e 21-9).

Já Vitor Tavares foi ouro na classe  SS6. O brasileiro venceu o americano Miles Krajewski por 2 sets a 1, com parciais de 21-18, 18-21 e 21-14.


Victor Tavares na decisão do badminton (Foto: Washington Alves/Exemplus/CPB)

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Deixe seu comentário
Mensagem: