Domingo, 28 de Novembro de 2021

O Repórter

Comitê aponta milhares de padres pedófilos na França desde 1950

Resultados de comissão interna serão apresentados nesta terça

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Redação - 04 de outubro de 2021 às 10:02 (Atualizada em 04 de outubro de 2021 às 10:03)
EPA
Comissão fez investigação sobre abusos sexuais e pedofilia dentro da Igreja Católica da França

PARIS (ANSA) - O presidente da Comissão Independente sobre Abusos Sexuais na Igreja Católica (Ciase), na França, Jean-Marc Sauve, antecipou parte dos resultados da investigação e afirmou que há "entre 2,9 mil e 3,2 mil padres ou outros membros da instituição" pedófilos desde 1950.

Ainda conforme Sauve, essa é "uma estimativa por baixo" do que ocorreu. O relatório completo será divulgado nesta terça-feira (5) e apontará todos os dados levantados desde 2018. A Ciase foi criada pela própria Igreja Católica para investigar os diversos casos de abusos sexuais e pedofilia revelados nos últimos anos.

Ao todo, o dossiê tem 2,5 mil páginas e será entregue para a Conferência Episcopal da França e para a Conferência dos Religiosos dos Institutos e Congregações, ambas organizações que sustentam a Comissão.

Para produzir o documento, foram ouvidos testemunhos de 6,5 mil pessoas e ocorreram 250 audições e conversas. Também foram utilizados arquivos da própria Igreja, do Ministério da Justiça e do Interior da França e matérias jornalísticas.

Segundo fontes ligadas ao presidente da Conferência, Eric de Moulins-Beaufort, há o temor de que as "cifras assustadoras" causem uma crise sem precedentes na instituição, mas que ele está consciente de que o dossiê "será um testemunho da verdade e um momento difícil e grave".

Os bispos franceses também já teriam informado o papa Francisco por meio de uma nota, e as fontes disseram ainda que o bispo Moulins-Beaufort ressaltou que informou "o Papa o que pude, isso me pareceu necessário, é importante que ele seja notificado".

O documento também trará os dados sobre a quantidade de vítimas e uma comparação sobre como a Igreja combate esse tipo de crime na comparação com outras entidades e organizações, como associações esportivas e escolas.

No início de março desse ano, Sauve havia dito que a Ciase identificou "ao menos 10 mil vítimas" de abusos sexuais desde 1950, cometido por religiosos ou funcionários da Igreja, em um "sistema real de abusos em várias instituições católicas ou comunidades religiosas".

Além de apontar os crimes, a Comissão vai anunciar 45 propostas que em que propõe um espaço de escuta para as vítimas e para a prevenção de crimes, a formação de padres e religiosos no direito canônico e orientações para a governança da Igreja. A Ciase também apresentará propostas de "reconhecimento e reparação".

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Deixe seu comentário
Mensagem: