Quinta, 27 de Fevereiro de 2020

O Repórter

Cultura pop japonesa marca abertura do Rio Matsuri

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Rafael Max - 18 de janeiro de 2020 às 01:15 (Atualizada em 24 de janeiro de 2020 às 21:10)
Rafael Max/OReporter.com
O Rio Matsuri teve até Jiraiya

RIO (OREPORTER.COM) - Quem foi ao Riocentro nesta sexta-feira (17) ficou praticamente no melhor da cultura pop japonesa. A abertura do Rio Matsuri foi dedicada aos games, animes e séries tokusatsu, levando ao local jovens e mais velhos, aqueles que cresceram assintindo a "Jaspion", "Flashman" e companhia.

O Rio Matsuri traz o melhor da cultura japonesa ao Rio de Janeiro. Não só o lado pop, mas também a culinária, a música, o vestuário e também o esporte - a próxima edição dos Jogos Olímpicos será neste ano, em Tóquio, o que fez o evento ter menções esportivas relativas às competições que serão realizadas no Japão.

Com o primeiro dia marcado pela cultura pop, um festival de cosplayers invadiu o festival, trazenbdo as representações de diversos personagens. Muitos desses fazem caracterizações tão boas que são parados pelos frequentadores para tirar fotos. 

Com a presença dos atores Kihachiro Uemura, de "Flashman" e Walter Jones, de "Mighty Morphin Power Rangers", o clima de nostalgia tomou conta de quem foi ver o que acontecia no palco principal. A presença de cosplayers das séries clássicas que passavam na Rede Manchete tiveram um gosto a mais com a apresentação de Diogo Miyahara. O cantor trouxe ao palco várias canções que embalaram momentos de seriados como "Kamen Rider Black", "Jiraiya", "Jaspion", "Winspector" e "Flashman", este com a presença de Uemura, que cantou junto com o público.


Diogo Miyahara e os cosplayers do Rio Matsuri (Foto: Rafael Max/OReporter.com)

Uemura e Jones protagonizaram um bate-papo com o público, contando os bastidores dos seriados "Flashman" e "Mighty Morphin Power Rangers". O intérprete do Green Flash veio pela primeira vez ao país, enquanto que o ator que fez o Zack já era um veterano em aparições em terras verde e amarelas.

"Me tornei exemplo [ao fazer Flashman]. Vindo ao Brasil vejo que valeu a pena de ter feito [o seriado]", contou Uemura.


Walter Jones e Kihachiro Uemura (Foto: Divulgação)

"Demais conhecer o mundo todo e ser reconhecido. No Brasil a gente sente muito amor", disse Walter Jones.

Outro momento esperado foi a apresentação do trio Danger3. Com Larissa Tassi (cantora de vários temas de "Cavaleiros do Zodíaco"), Ricardo Cruz (integrante do grupo japones JAM Project) e Rodrigo Rossi (intérprete brasileiro das canções de "Dragon Ball"), o grupo cantou vários temas de animes. Certamente o momento que mais empolgou o público foi quando Larissa troxe a clássica música de 1995 que passava na Rede Manchete com os versos "Tem sempre alguém no cosmo ajudando o cavaleiro a vencer / E só o vencedor pode vestir a armadura de ouro". 

"Essa é para tem mais de 30", disse Larissa antes de soltar a voz.

Nos arredores, o púbico teve várias opções de entretenimento. No palco otaku, os mais jovens se divertiram com o universo dos games. Além disso, os frequentadores tinham um espçao dedicado ao mangá, para poder folhear suas histórias favoritas e comprar a que mais interessar. Na área de wokshops, foi possível aprender um pouco sobre a arte mangá.

O Rio Matsuri vai até esta segunda-feira (20), feriado no Rio de Janeiro. Kihachiro Uemura ainda fará um painel às 15h30 deste sábado (18), no Palco Otaku. Ainda sobre cultura pop, Ricardo Cruz se apresentará às 16h30, no palco principal.


Também teve "Changeman" (Foto: Rafael Max/OReporter.com)


Teve quem veio caracterizado como os personagens de "Frozen"... (Foto: Rafael Max/OReporter.com)


... Outros, com a "Death Note" em mãos (Foto: Rafael Max/OReporter.com)


Alguns aproveitaram o espaço para jogar (Foto: Rafael Max/OReporter.com)

Veja alguns vídeos do dia:

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Deixe seu comentário
Mensagem: