Terça, 20 de Outubro de 2020

O Repórter

É preciso abrir o coração para viver um tempo novo

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Redação... - 22 de setembro de 2020 às 09:00 (Atualizada em 22 de setembro de 2020 às 12:59)

Por Monernhor Jonas Abib*

O Senhor nos prometeu: “Meus olhos estarão abertos e meus ouvidos atentos à oração feita neste lugar. Pois agora escolhi e santifiquei esta casa dedicada a meu nome para sempre. Meus olhos e meu coração estarão nela todo o tempo” (2Cr 7,15-16). Diante da grandiosidade do que Deus nos apresenta, agora é preciso abrir o coração para viver um tempo novo.

Agora é o tempo da graça, o tempo oportuno. Tudo o que ficou para trás precisa ser deixado no coração de Deus. Não fique se lamentando, não fique mais com os olhos voltados somente para os problemas. Olhe para o Senhor! Os olhos Dele estão voltados para você e para a sua casa.

O Senhor nos chama a sermos adoradores, para experimentarmos a Sua Misericórdia. A adoração não é para os perfeitos nem para aqueles que já chegaram a um alto grau de santidade. A adoração é para nós, pecadores, que sentimos a força do pecado em nós.

São Paulo dizia que sentia como duas naturezas, duas forças se debatendo uma contra a outra em seu interior: “Não faço o bem que quero, mas faço o mal que não quero” (Rm 7,19).

São Paulo não era um recém-convertido quando escreveu a Carta aos Romanos. Ele já tinha sofrido muito por Cristo e se transformado bastante, e mesmo assim ainda sentia dentro de si essa luta que acontece dentro de todos nós.

Deus de tempos em tempos nos traz coisas novas. O Senhor vai desdobrando o que Ele mesmo criou, vai nos apontando realidades novas e nos conduzindo por rumos novos, que antes nem podíamos imaginar.

“Isso é obra de Deus: admirável aos nossos olhos”. Um coração que adora o Senhor não perde a capacidade de se maravilhar diante dessa obra de restauração que Deus realiza. Somos e seremos sempre novos quando nos abandonamos nas mãos de Deus.

Seu irmão,
Monsenhor Jonas Abib

*Fundador da Comunidade Canção Nova, presidente da Fundação João Paulo II, mantenedora do Sistema Canção Nova de Comunicação, em Cachoeira Paulista (SP) e reitor do Santuário do Pai das Misericórdias. É um dos religiosos que mais se destacou utilizando os meios de comunicação na ação evangelizadora da Igreja Católica, na América Latina. Autor de 57 livros, CDs e DVDs, além de várias palestras em áudio e vídeo.

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Deixe seu comentário
Mensagem: