Quinta, 27 de Fevereiro de 2020

O Repórter

Encontro entre atores de 'Flashman' e 'Power Rangers' traz bate-papo nostálgico

Kihachiro Uemura e Walter Jones participaram do Rio Matsuri nesta sexta-feira

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Rafael Max - 18 de janeiro de 2020 às 03:00 (Atualizada em 18 de janeiro de 2020 às 10:51)
Divulgação/Rio Matsuri
Walter Jones e Kihachiro Uemura participaram de um bate-papo no Rio Matsuri

RIO (OREPORTER.COM) - Dois atores que fizeram personagens que marcaram a infância de muita gente participaram de um divertido bate-papo nesta sexta-feira (17), durante o Rio Matsuri, evento de cultura japonesa que acontece no Riocentro. Walter Jones, de "Mighty Morphin Power Rangers", e Kihachiro Uemura, de "Flashman", falaram sobre suas experiências em fazer super-heróis na televisão, relembrando as histórias e os bastidores desses seriados.

"Flashman" foi  décima série Super Sentai no Japão, contando a série de cinco crianças raptadas que voltam à Terra vinte anos mais tarde para combater os viões responspaveis pela captura. O seriado chegou ao Japão em 1986 e passou no Brasil em 1989, ganhando reprises até os anos 1990.

Uemura conta que chegou ao seriado através de testes e audições, com diversas fases até ser escalado para ser um dos heróis. Ele interpretou Dan, o Green Flash, que usa o uniforme verde do seriado.

Já "Mighty Morphin Power Rangers" marcou a estreia nos Estados Unidos do conceito de heróis que usam uma roupa de cada cor. O seriado é uma adaptação de "Zyuranger" (1992), a 16ª série Super Sentai Japonesa. O seriado estreou em 1993 nos Estados Unidos e chegou ao Brasil entre 1994 e 1995;

Walter Jones interpretou Zack, o ranger de uniforme preto. Segundo ele, os produtores do seriado queriam atores que pudesses usar artes marciais, ginástica olímpica e dança. "Aí eu pensei: 'Eu posso fazer isso'", conta.

Diferentemente do Japão, em que já havia uma tradição desses seriados na televisão, nos Estados Unidos tudo era uma novidade quanto ao conceito. Além disso, os produtores de "Power Rangers" utilizavam as cenas de ação de "Zyuranger" (em geral com os personagens tranformados), misturando-as com as gravações americanas. 

"Vi algo sobre aolescentes morfando  e pensei 'O que é morfar?'. A gente gravava a cena e não tinha ideia. Depois vi que era demais", relata Walter Jones.

Ambos os atores lembraram que, apesar de haver dublês, eles vestiram as fantasias dos personagens em algumas situações.

Experiências

Walter Jones e Kihachiro Uemura também falaram sobre as experiências em seus seriados. Ambos contaram sobre os melhores e mais difíceis episódios que fizeram.

"Tenho dois episódios que gosto muito. Um é o 'Golpe da Amizade" em que tenho que tocar trompete. Teve também o 'A cilada da menina'. O último também é marcante. [Flashman] tem uma história triste que começa com cinco jovens que foram raptados", lembra Uemura.

"Um dos episódios mais difíceis foi quando que tivemos que gravar no mesmo dia em que teve um terremoto em Los Angeles. Fomos chamados para gravar depois do terremoto e foi difícil", conta Walter.

Interpretar um herói tambem exige bastante do físico dos atores. Para Walter, usar a dança foi a melhor forma de se expressar nas gravações de "Power Rangers", o que se tornou uma marca característica de seu personagem. "Fiquei pensando no melhor jeito de dançar na luta. Aí eu percebi que a dança é uma distração ao oponente", conta ao ator, que repetiu os movimentos que fazia, para delírio do público.


Bate-papo reuniu Walter Jones, de "Power Rangers", e Kihachiro Uemura, de "Flashman" (Foto: Divulgação/Rio Matsuri)

Uemura lembra que recebeu instruções da equipe de dublês do seriado. "Recebi treinamento da JAC [grupo de dublês] antes da série, sobre como dar socos e chutes", lembra.

Trabalhos seguintes

Uemura voltou ao ar em uma produção Super Sentai em 1990, em "Fiveman", esta que não foi lançada no Brasil. Dessa vez, ele teve que interpretar um vilão, algo que agradou bastante o ator. "Recebi proposta da minha agência, sem audição. O vilão chegava no meio da série e tinha a posição mais alta que os outros. Fiquei entusiasmado sobre como judiar os heróis", conta.

Ambos os atores tiveram trabalhos em dublagem. Uemura fez um dos personagens da animação "One Piece", sendo que, de vez em quando, ele ainda precisa voltar à série por se tratar de um personagem recorrente nessa série.

"Dublei por um ano e meio 'One Piece' até o fim da saga em que eu participava. Como é uma série longa, às vezes em volto [com meu personagem] de vez em quando", disse o ator ao falar sobre o seriado que está no ar desde 1999 com mais de mil episódios.


Kihachiro Uemura em destaque (Foto: Divulgação/Rio Matsuri)

Walter também falou sobre as experiências em dublagem. "Gosto da dublagem. Já fiz monstros em Power Rangers. Também fiz outros trabalhos de voz como em 'Velozes e Furiosos'".

O ator de "Power Rangers" ainda falou sobre a continuidade de seu personagem nos quadrinhos. Cabe destacar que, no meio da primeira temporada, ele deixou a série ao lado de Austin St. John, que fez o Jason, e Thuy Trang, que fez a Trini. No seriado, foi colocada justificativa de uma conferência de paz para abordar a saída dos personagens. Nos quadrinhos feitos mais tarde, foi mostrada uma história em que, na verdade, o trio foi escalado para ser os Omega Rangers.

"Gosto do jeito que conta Power Rangers do jeito que não dava na TV. Eles deram continuidade para Jason, Zack e Trini como Omega Rangers. E gosto também que hove crossovers com personagens da DC", elogia.

Mensagem

Ambos os atores também falaram sobre como os seriados mudaram suas vidas. "Power Rangers mudou minha vida para sempre. Deixei de ser um indivíduo para ser um exemplo", disse Walter.

"Me tornei um exemplo. Vindo ao Brasil vejo que valeu a pena de ter feito", finaliza Uemura.

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Deixe seu comentário
Mensagem: