Quinta, 14 de Novembro de 2019

O Repórter

Justiça do Rio condena miliciano a 38 anos de prisão por homicídio

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Redação... - 19 de junho de 2019 às 20:10 (Atualizada em 19 de junho de 2019 às 22:50)

RIO (Agência Brasil) - A Justiça do Rio condenou o miliciano Carlos Eduardo Caitano de Souza a 38 anos e 11 meses de prisão pelo assassinato do estudante Julian Hicue Ramirez, em agosto de 2014. Ele vai cumprir a pena em regime fechado. O condenado faz parte da milícia da Gardênia Azul, em Jacarepaguá, considerada pelas autoridades como uma das mais perigosas da zona oeste do Rio.

Após uma discussão em um bar na Avenida Engenheiro Souza Filho, no Itanhangá, Carlos Eduardo atirou à queima-roupa contra Julian com uma submetralhadora. Ele foi atingido no pulmão e no fígado e morreu de hemorragia, como apontou o laudo cadavérico emitido pelo Instituto Médico Legal (IML). Leandro dos Santos Cruz, amigo de Julian, também foi atingido, sobreviveu aos disparos, mas perdeu a memória com o ataque.

Na sentença, o juiz Alexandre Abrahão, do 3º Tribunal do Juri, disse que o réu agiu de forma fria e calculista e que o crime foi cometido por motivo fútil, além de impedir a defesa dos atingidos.

“As consequências do crime são extremadas porque a ação foi voltada contra uma pessoa de apenas 19 anos, trabalhadora e estudante que aqui tentava construir uma vida digna e honrada. Acrescente-se, nesse pressuposto, a humilhação imposta aos familiares de Julian, forçada a recorrer a populares para possibilitar o pagamento do enterro, haja vista a pobreza em que viviam”, escreveu o magistrado na sentença.

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Deixe seu comentário
Mensagem: