Quarta, 01 de Dezembro de 2021

O Repórter

Kishida é eleito por conservadores e será novo premiê do Japão

Ex-chanceler deve ser anunciado chefe do governo no dia 4 de outubro

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Redação - 29 de setembro de 2021 às 08:27 (Atualizada em 29 de setembro de 2021 às 08:30)
Getty Images

TÓQUIO (ANSA) - O ex-ministro das Relações Exteriores do Japão Fumio Kishida, 64 anos, foi eleito como novo presidente do Partido Conservador (LDP) nesta quarta-feira (29) e deve ser anunciado como premiê do país na próxima semana.

Kishida, que foi chanceler entre os anos de 2012 a 2017, tem um perfil moderado e derrotou um nome mais famoso da sigla, Taro Kono, que foi o responsável pelo plano nacional de imunização contra a Covid-19 durante o governo do atual primeiro-ministro, Yoshihide Suga.

A estimativa é que a troca de chefe de governo ocorra na segunda-feira (4), após votação no Parlamento, e coloque fim ao curto mandato de Suga, que anunciou que não disputaria a presidência do partido por conta da baixa aprovação de seu governo.

Suga assumiu após a saída de Shinzo Abe, que precisou se afastar da função por problemas de saúde em 2020, e precisou lidar tanto com a pandemia como com a reprovação dos japoneses sobre a realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio. Além disso, apesar de ser um país rico, o Japão demorou para iniciar sua campanha de vacinação anti-Covid.

O PLD domina a vida política japonesa desde 1955 e, nas eleições legislativas de novembro, deve continuar a manter a maioria no Parlamento.

China se manifesta - Rival histórica do Japão, a China já se manifestou sobre a eleição de Kishida e disse que "está pronta" para trabalhar com o novo governo.

Uma das porta-vozes do Ministério das Relações Exteriores de Pequim, Hua Chunying, destacou em sua coletiva diária com jornalistas que o país "está pronto para trabalhar com a nova equipe do governo japonês para aprofundar também a cooperação pragmática em vários campos e para o desenvolvimento sólido e constante das relações bilaterais".

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Deixe seu comentário
Mensagem: