Sábado, 26 de Setembro de 2020

O Repórter

Morre aos 84 anos o cantor sertanejo Léo Canhoto

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Redação... - 25 de julho de 2020 às 13:40 (Atualizada em 25 de agosto de 2020 às 00:19)
Reprodução
Léo Canhoto fazia dupla com Robertinho

RIO (OREPORTER.COM) - Morreu neste sábado (25), aos 84 anos, o cantor sertanejo Léo Canhoto. Ao lado de José Simão Alves, ele formou a dupla Léo Canhoto & Robertinho, parceria existente desde 1969. O artista estava internado há três semanas com pneumonia e não resistiu após sofreu três paradas cardíacas.

Nascido Leonildo Sachi em 1936, no município de Anhumas (SP), Léo Canhoto ganhou esse apelido pelo fato de usar a mão esquerda para tocar violão, invertendo as cordas do instrumento musical. A dupla ficou conhecida como os "hippies da música sertaneja" por utilizar elementos do rock, como a guitarra elétrica, junto aos elementos caipiras. Além disso, suas músicas carregavam traços dos filmes de faroeste, utilizando-se de diálogos no meio das canções e efeitos sonoros de bangue-bangue.

Léo Canhoto e Robertinho se separaram em 1983, reunindo-se em algumas oportunidades nos anos 1990. A parceria foi retomada em 2005, mas desde 2018 Léo Canhoto estava formando dupla com Dino Santos.

No Rio de Janeiro, a dupla acabou ficando famosa de maneira inusitada. DJs do funk carioca utilizavam os diálogos e os efeitos de tiros das músicas dos dois para criar as famosas montagens. Músicas como "O Homem Mau", "Jack, o Matador" e "Chumbo Quente" foram algumas das canções remixadas pelos DJs cariocas.

Eram das músicas de Léo Canhoto & Robertinho que vinham frases como "Todo mundo aqui vai dançar" e "Gaiteiro, toca um negócio aí" (da música "Jack, o Matador") que apareciam nas montagens de funk das décadas de 1990 e 2000. A dupla chegou a gravar um videoclipe com a versão funk de "Chumbo Quente". 

Léo Canhoto & Robertinho também gravaram músicas como "O Último Julgamento", “Meu velho pai“ e “Apartamento 37“.

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Deixe seu comentário
Mensagem: