Sábado, 22 de Fevereiro de 2020

O Repórter

Nível dos rios no norte fluminense baixa e começa limpeza das ruas

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Redação... - 28 de janeiro de 2020 às 17:10 (Atualizada em 28 de janeiro de 2020 às 18:50)

RIO (Agência Brasil) - Após as fortes chuvas que atingiram o norte e noroeste fluminense, o nível dos rios da região segue com tendência de baixa. Em Itaperuna, o Rio Muriaé registrou 4,39 metros (m) na manhã de hoje (28), após atingir o pico de 5,98 m na noite de domingo (26).

Em Bom Jesus do Itabapoana, o abastecimento de água pela Cedae foi retomado hoje, mas alguns bairros seguem com o fornecimento por caminhão-pipa. A Secretaria de Obras da cidade também começou hoje a limpeza das ruas do centro, com coordenação da Defesa Civil municipal.

A Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos (SEDSODH) continua na região para levantar as necessidades dos municípios. As esquipes já passaram por Bom Jesus do Itabapoana, Itaperuna, Santo Antônio de Pádua, Miracema, Laje do Muriaé, Natividade e Porciúncula. Estavam previstas para hoje visitas a Italva e Cardoso Moreira.

Segundo a secretaria, as famílias que têm direito ao aluguel social estão sendo cadastradas. Para requerer o benefício, a família deve ter renda de até cinco salários mínimos, um laudo da Defesa Civil de interdição da casa e conta bancária na Caixa Econômica Federal.

Os R$ 10 milhões liberados pelo governo do estado ontem (27) estão sendo usados para comprar produtos de primeira necessidade, como cestas básicas, água mineral, kits de higiene e limpeza e colchões. A secretaria informou, ainda, que está sendo discutida a criação de um cartão para compra de materiais de construção, móveis e eletrodomésticos.

Marinha

Em nota à imprensa, a Marinha informou hoje que foi acionada ontem pelo Ministério da Defesa para “apoiar as ações de mitigação dos efeitos das fortes chuvas que têm assolado a região Norte-Fluminense, nas áreas próximas a Itaperuna-RJ”.

Serão utilizados um helicóptero de grande porte e um Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais, com 210 militares. Eles se dirigiram para a região afetada na tarde de ontem, levando equipamentos de engenharia para limpeza e desobstrução de vias e veículos com capacidade de trafegar em qualquer terreno.

A Marinha também vai empregar pessoal de apoio logístico, embarcações para transporte de pessoal e material e fará ações de reconhecimento e resgate em áreas de difícil acesso, além de atendimento de saúde aos feridos.

Defensoria Pública

A Defensoria Pública do Rio de Janeiro suspendeu o atendimento no município de Laje do Muriaé, devido à inundação da sede da instituição na cidade, ocorrida no sábado (25). Uma equipe de engenharia da defensoria está no local para vistoriar as instalações e a perspectiva é que o atendimento seja retomado até amanhã (29).

Segundo nota no órgão, as sedes da Defensoria Pública nos demais municípios atingidos pelas chuvas não foram afetadas e funcionam normalmente. “Nos próximos dias, as defensoras e defensores públicos que atuam na região irão visitar os abrigos temporários organizados pelas prefeituras para acolher as famílias que ficaram sem moradia em decorrência das chuvas [para avaliar as possibilidades de atuação do órgão]", destaca o texto.

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Deixe seu comentário
Mensagem: