Quinta, 21 de Março de 2019

O Repórter

Padre Quevedo morre aos 88 anos em Belo Horizonte

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Redação... - 09 de janeiro de 2019 às 11:40
Reprodução

RIO (OREPORTER.COM) - Morreu nesta quarta-feira (9) o sacerdote hispano-brasileiro Oscar González-Quevedo, o Padre Quevedo. Ele ficou nacionalmente conhecido por desvendar supostos fenômenos paranormais, ganhando diversas aparaições na televisão. Quevedo tinha 88 anos e morreu na Casa Irmão Luciano Brandão, no Bairro Planalto, em Belo Horizonte, após complicações cardícadas.

Nascido em 15 de dezembro de 1930 em Madri, na Espanha, Quevedo formou-se em psicologia e filosofia e decidiu ir para um seimnário jesuíta. Já conhecido pelo interesse em pesquisas sobre ocultismo e magia, foi recomendado para que ele fosse ao Brasil, por ser um local em que a supertição é bastante forte no campo popular. Foi ordenado sacerdote em 1961, no Rio Grande do Sul.

Acabou causando polêmica no meio católico por causa do livro “Antes que os Demônios Voltem”, pois seus superiores da Companhia de Jesus acreditavam que a parapsicologia era herética. Por causa do voto de obediência, teve que ficar em silêncio sobre o assunto. Foi então que Dom Paulo Evaristo Arns, então arcebispo de São Paulo, viajou até o Vaticano para esclarecer o caso. Os membros da Santa Sé leram o livro e recomendaram a publicação. Assim, Padre Quevedo passou a ensinar parapsicologia a sacerdotes e outrs agentes de pastorais.

Padre Quevedo foi professor de parapsicologia do Centro Universitário Salesiano de São Paulo (UNISAL) e ficou à frente do Centro Latino-Americano de Parapsicologia até 2012, quando se aposentou. Em 2013, foi criado o  Instituto Padre Quevedo de Parapsicologia (IPQ), dando continuidade aos estudos.

Na década de 1970, Quevedo ficou frente a frente com o ilusionista Uri Geller, que afirmava ser paranormal ao entortar colheres, garfos e outros objetos. O sacerdote conseguiu provar que tudo não passava de técnicas de ilusionismo. Desde então, o padre passou a aparecer em diversos programas de televisão em debates com supostos médiums e curandeiros, dando explicação científica sobre tais fenômenos.

Quevedo ganhou um quadro no programa "Fantástico", da Rede Globo, em 2000. Entre janeiro a maio daquele ano, o sacerdote investigou diversos supostos casos de fenômenos sobrenaturais. O objetivo, segundo ele, era acabar com a "mentalidade mágica" dos "fenômenos parapsicológicos". 

O enterro do corpo de Padre Quevedo está marcado para esta quinta-feira (10), às 11h, no Cemitério Bosque da Esperança, no Bairo Jaqueline, em Belo Horizonte.

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Deixe seu comentário
Mensagem: