Terça, 07 de Julho de 2020

O Repórter

Papa Francisco incluirá os protestos no Brasil em seu discurso

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Redação - 21 de julho de 2013 às 15:50

SÃO PAULO (ANSA) - O papa Francisco fará menção à onda de protestos no Brasil em pelo menos um dos 14 discursos que pronunciará durante sua viagem ao Rio de Janeiro e Aparecida do Norte, segundo teólogos e religiosos consultados pela ANSA.

Francisco, que chega amanhã ao país por ocasião da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), tem acompanhado nos últimos meses as manifestações em todo o Brasil e, de acordo com fontes vaticanas, o Pontífice teria alterado trechos de alguns de seus discursos para abordar os protestos.

"Sabemos que todos os discursos, tanto os do Papa quanto o das autoridades brasileiras, estão sendo revisados diante das manifestações populares recentes. Espero que o Papa confirme a esperança dos jovens por um país e um mundo melhor, com mais justiça social, menos corrupção na política e defesa dos direitos humanos, sobretudo da população mais pobre", afirmou à ANSA o teólogo e escritor Frei Betto, adepto da Teologia da Libertação e assessor de movimentos sociais.

Frei Betto disse ter "certeza" de que o Papa fará um pronunciamento sobre as manifestações, pois "os jovens cobrarão dele uma posição. Francisco não pode ficar cego e surdo ao clamor das ruas", defendeu.

O professor da PUC-Rio e jesuíta Mario de França Miranda garantiu, por sua vez, que Francisco "não vê os protestos com maus olhos, mas como um gesto de liberdade de expressão". "É possível que ele faça algum comentário, sim, porque ele é uma pessoa que fala o que pensa. O que ele tem a dizer, ele diz, e a presidente da Argentina sabe disso. Francisco é simples, mas persiste em suas ideias", afirmou Miranda, referindo-se à mandatária Cristina Kirchner, com quem Jorge Mario Bergoglio, ex-arcebispo de Buenos Aires, mantinha discordâncias políticas e sociais, como a aprovação do casamento gay.

Para o teólogo Leonardo Boff, expoente da Teologia da Libertação, "Francisco está ligado à realidade e, portanto, não se prende a discursos feitos". "Ele é capaz de fazer um chamado de mais justiça no Brasil ou críticas à violência. Com certeza, suas declarações não vão decepcionar", afirmou Boff à ANSA.

O Papa ficará sete dias no país, período em que acompanhará as atividades da JMJ no Rio de Janeiro e visitará o Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, no município de Aparecida do Norte, em São Paulo. Entre 22 e 28 de julho, Bergoglio percorrerá 19 mil quilômetros no Brasil, fará 14 discursos, homilias e saudações públicas e visitará 12 lugares diferentes, em sua primeira viagem internacional como Pontífice.

Tags:
papa, francisco, JMJ, discurso
  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Deixe seu comentário
Mensagem: