Segunda, 13 de Julho de 2020

O Repórter

Papa Francisco brinca com os cariocas e pede fé, esperança e amor aos jovens na JMJ

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Ralph Guichard - 25 de julho de 2013 às 20:57

RIO DE JANEIRO (O REPÓRTER) - Com uma linguagem descontraída, porém, com um discurso forte e de muito otimismo, o papa Francisco pediu aos jovens que não percam a fé, alimentando a vida com esperança e amor. O Santo Padre emocionou o público que lotava as areias da Praia de Copacabana, na noite desta quinta-feira (25), durante a cerimônia de acolhida da Jornada Mundial da Juventude.

Pronto para o que seria um momento marcante na história do Rio de Janeiro, o Sumo Pontífice chegou ao Forte de Copacabana às 17h20 em um helicóptero do Exército. De lá, passou pela orla de Copacabana em um papamóvel, acenando e distribuindo sorrisos ao público. Durante a passagem, o Santo Padre parou diversas vezes para abençoar crianças e chegou até mesmo a tomar o chimarrão de um fiel.

Quando chegou ao palco principal, o papa foi recebido com a canção "Seja bem-vindo", interpretada pelo padre Fábio de Mello. Logo em seguida foi a vez do arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta, realizar as saudações iniciais.

"Obrigado por ter acolhido este convite. Obrigado por ter ido ao local dos irmãos mais necessitados, seja no hospital São Francisco, seja na comunidade de Varginha. Que vossa alegria possa contagiar a tantos e tantos jovens", declarou, em referência às visitas oficiais que o líder da Igreja Católica realizou durante a semana na cidade.

Ao som de um pot-pourri formado por canções como "Cidade Maravilhosa", "Copacabana", "Samba do Avião" e "Jesus Cristo", jovens voluntários dançaram coreografias que lembravam estilos brasileiros. No fim, a apresentação terminou com a trilha de "Aquele abraço", em uma grande festa, que contou até mesmo com um jovem casal de mestre-sala e porta-bandeira, Vinícius e Jéssica, da escola de samba carioca Unidos de Padre Miguel, trazendo a bandeira da JMJ.

A cerimônia seguiu com um desfile de bandeiras. Todas as nações presentes na Jornada Mundial da Juventude estavam representadas no palco, em um momento especial para os peregrinos que viajaram ao Brasil especialmente para o evento. Por outro lado, todos queriam mesmo era ouvir as palavras do Sumo Pontífice. Foi quando papa Francisco chegou ao microfone e brincou com os anfitriões do Rio de Janeiro.

"Sempre ouvi dizer que os cariocas não gostam do frio e da chuva, mas, vocês estão mostrando que a fé de vocês é maior do que o frio e do que a chuva. Parabéns! Vocês são guerreiros. Meu coração se enche de alegria. Os cariocas sabem receber bem. Sabem dar um grande aconchego", improvisou.

O papa também pediu uma oração em silêncio para a jovem francesa Sophie, de 21 anos, morta em um grave acidente na Guiana Francesa, quando se preparava para a JMJ. Além disso, Sua Santidade agradeceu ao papa emérito Bento XVI, responsável pela escolha do Rio como sede da Jornada.

"Benedicto! Benedicto!", bradou o papa junto com o povo.

A festa prosseguiu com jovens de todos os continentes lendo mensagens ao Santo Padre. Na vez da brasileira, que representava as Américas, o público vibrou com entusiasmo, levando a moça às lágrimas. O papa, então, agradeceu e deu um grande abraço na menina.

Em mais um momento de apresentações teatrais e musicais, todas as regiões do Brasil foram representadas por artistas e costumes católicos tradicionais. Durante o Círio de Nazaré, da Região Norte, a cantora Fafá de Belém, que já havia quebrado o protocolo e cumprimentado os papas João Paulo II e Bento XVI em outros anos, subiu a escadaria e ajoelhou-se ao Sumo Pontífice. Ela beijou as mãos de Francisco, que a abençoou. Já após a Região Sudeste, uma imagem de Nossa Senhora Aparecida foi levada pelo ator Marcos Frota e pelo coreógrafo Carlinhos de Jesus, responsável pela direção dos números de dança da noite.

Mais uma vez com a palavra, o papa voltou a dirigir o discurso aos jovens. Francisco preferiu, então, estimulá-los em três sentimentos que considera essencial na vida: fé, esperança e amor.

"Se falta sal, o que você faz? Bota sal. Se falta o azeite, você bota o azeite. É assim também na vida, queridos jovens. Se queremos que ela tenha realmente sentido e plenitude, como vocês mesmos desejam e merecem, digo a cada um de vocês: bote fé e a vida terá um sabor novo, terá uma bússola que indica a direção. Bote esperança e todos os seus dias serão iluminados e o seu horizonte já não será escuro, mas luminoso. Bote amor e a sua existência será como uma casa construída sobre a rocha, o seu caminho será alegre, porque encontrará muitos amigos que caminham com você. Bote fé, bote esperança, bote amor", exaltou.

Quando já passava das 19h15, o Sumo Pontífice realizou a benção final e encerrou a cerimônia de acolhida, deixando muitos fiéis com os olhos encharcados.

O papa volta a Copacabana nesta sexta-feira (26), quando acontece o ato de encenação da Via Sacra. Antes, Sua Santidade ouve a confissão de jovens participantes da JMJ na Quinta da Boa Vista, na Zona Norte do Rio.

  • Papa em Copacabana
  • Papa em Copacabana
  • Papa em Copacabana
  • Papa em Copacabana
  • Papa em Copacabana
  • Papa em Copacabana
  • Papa em Copacabana
  • Papa em Copacabana
  • Papa em Copacabana
  • Papa em Copacabana
  • Papa em Copacabana
  • Papa em Copacabana

Tags:
jmj, papa francisco, cerimônia de acolhida aos jovens, jornada mundial da juventude
  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Deixe seu comentário
Mensagem: