Domingo, 18 de Agosto de 2019

O Repórter

Problemas de som e protestos políticos marcam o show do Skank no Rock in Rio

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Ralph Guichard - 16 de setembro de 2017 às 20:55
Fotos: Adriano Ishibashi/OReporter.com
Samuel Rosa não poupou críticas aos políticos brasileiros

RIO DE JANEIRO (OREPORTER) - A banda mineira Skank abriu neste sábado (16) os shows do Palco Mundo no Rock in Rio. O grupo optou por um repertório mesclado entre baladas e músicas românticas. Problemas com o som do festival, no entanto, prejudicaram parte da apresentação. O vocalista Samuel Rosa também usou o tempo para protestar contra os políticos brasileiros.

Após um início agitado, que passava pelos sucessos "Uma partida de futebol" e "Saideira", o momento mais calmo chegou com "Canção noturna" e, em seguida, com "Ainda gosto dela". E em meio ao período político conturbado que o país vive, o grupo resgatou a antiga gravação "Indignação", do início dos anos 90, que quase não é tocada em shows da banda. Antes, porém, Samuel bradou um longo discurso contra a classe política:

"Não somos iguais a vocês. Vocês matam gente", criticou, sem citar nomes.

Além disso, o vocalista aproveitou para abrir uma bandeira do projeto "Amazônia Live", do Rock in Rio, que pretende plantar mudas de árvores na Amazônia. O longo tempo utilizado com os discursos obrigou o grupo a encurtar a parte musical, cortando a música "Sutilmente", que estava prevista inicialmente no setlist.

Ainda se apresentam no Palco Mundo neste sábado (16) os cantores Shawn Mendes e Fergie, além da banda Maroon 5.

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Deixe seu comentário
Mensagem: