Domingo, 28 de Novembro de 2021

O Repórter

Volta do Shooto Brasil tem nocautes e novo campeão dos super-leves

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Redação... - 27 de julho de 2020 às 09:00 (Atualizada em 27 de julho de 2020 às 12:00)
Marcell Fagundes/Divulgação
Rangel conquistou o título dos super-leves

RIO (OREPORTER.COM) - O Shooto Brasilo voltou às atividades neste domingo (26) com o Shooto Brasil Solidariedade, na Upper Arena, no Rio de Janeiro. O evento foi realizado sem público, obedecendo a um rígido protocolo de prevenção contra o coronavírus, elaborado em conjunto com a CABMMA (Comissão Atlética Brasileira de MMA). Foram dez lutas, sendo cinco nocautes, incluindo o título de Rangel Anaconda pelos super-leves. Pela luta principal, o campeão dos leves Fabrício Negão encarou Thiago Manchinha e levou a pior após desclassificação por uma joelhada ilegal. O duelo não valia o cinturão dos leves (até 70,3kg) por conta da falha de Manchinha na pesagem.

Na luta principal da noite, o atual campeão dos leves (até 70,3kg) Fabrício Negão encarou o ex-campeão Thiago Manchinha, mas o desafiante ultrapassou cerca de 600g o limite de 70,3kg da divisão. Durante a luta, Fabrício aplicou um knockdown no início da luta e levou a pior após aplicar uma joelhada ilegal faltando um segundo para terminar o primeiro assalto. Manchinha não pôe voltar para o duelo e foi declarado o vencedor por causa da declassificação do oponente. Fabrício, porém, segue como campeão dos leves.

Pela categoria dos super-leves (até 74kg), Ary Santos e Rangel Anaconda se enfrentaram no co-main event da noite. Ary havia estourado em 900g o limite da divisão, e o confronto só valia cinturão em caso de vitória de Rangel. O duelo começou equilibrado, com Rangel conectando golpes precisos e Ary trabalhando o contragolpe. Porém, ao tentar um golpe conhecido como bate-estaca, Santos acabou perdendo a consciência na queda e a luta chegou ao fim, com vitória de Rangel por nocaute. Assim, o paraense é o novo dono do títulos dos super-leves. 

Os nocautes foram os destaques do evento. Adercino Marmita, irmão do ex-TUF Ismael Marmota, detonou Victor Romero, e Victor Buldoguinho conseguiu uma grande atuação ao vencer Wilherson Jackson ainda no assalto inicial. Já Keweny Leão superou Jaciel Lima após sequência no ground and pound ainda no round inicial. Já na única luta feminina da noite, Tina Black derrotou8 Karen Thalita no primeiro round depois uma sequência em pé. 

O Shooto Brasil Solidariedade recebeu esse nome por conta de uma ação que consiste na arrecadação de cestas básicas para diversas comunidades carentes do Rio de Janeiro afetadas pela pandemia. Liderada diretamente pelo presidente do Shooto Brasil, Dedé Pederneiras, forneceu a conta do Instituto André Pederneiras para as doações com a devida prestação de contas nos canais oficiais do Shooto.

Shooto Brasil Solidariedade - Resultados oficiais

Thiago Manchinha venceu Fabrício Negão por desclassificação aos 4min e 59seg do primeiro round

Rangel Anaconda venceu Ary Santos por nocaute a 1min e 53seg do primeiro round

Adercino Marmita venceu Victor Romero por nocaute a 1min e 51 seg do primeiro round

Wendel Almeida venceu Felipe Selvagem por decisão unânime

Cleiver Fernandes venceu Pedro Martins por decisão unânime

Victor Bulldoguinho venceu Wilherson Jackson por nocaute técnico aos 3min e 49seg do primeiro round

Leandro Mun-Rá finalizou Diego Barcelos com uma chave de braço aos 3min e 03seg do primeiro round

Renan de Oliveira venceu Luiz Felipe Lopes por decisão unânime

Keweny Leão venceu Jaciel Lima por nocaute aos 3min e 20seg do primeiro round

Tina Black venceu Karen Thalita por nocaute técnico aos 2min e 12seg do primeiro round

 

  • Compartilhar
  • Compartilhar por e-mail
  • Reportar um erro
Deixe seu comentário
Mensagem: