Menu de Editorias
Esportes

UFC: Thiago Marreta vence disputa brasileira contra Johnny Walker

Divulgação/UFC

LAS VEGAS, EUA (OREPORTER.COM) - Neste sábado (2), a noite foi de disputa brasileria no UFC Fight Night 193. Quem se destacou foi Thiago Marreta, que vencey Johnny Walker na decisão unânie dos jurados em duelo válido pela categoria dos meio-pesados.

O duelo começou estudado, com pouca movimentação. Marreta só foi atacar com contundência no segundo round, quando buscou levar o oponente para o solo. 

Marreta começou a acertar seus chutes a partir do terceiro assalto. Johhnny tentou uma reação no quarto round, mas Marreta controlou o duelo até o fim e liquidou a fatura por decisão unânime (48–47, 48–47, 48–47).

Brasileiros

O evento foi recheado de brasileiros. Alex Cowboy não foi bem-sucedido ao enfrentar Niko Price, perdendo mpor um triplo 29-28 na decisão dos jurados.

No card preliminjar, Bethe Correia perdeu para a compatriota Karol Rosa na luta que marcou a sua aposentadoria. Já Douglas D'Silva nocauteou Gaetano Pirrello. Por fim, Johnny Eduardo foi finalizado por Alejandro Perez.

Mais Notícias

Ídolo do Real Madrid, ex-atleta Francisco Gento morre aos 88 anos

Com 6 títulos, ex-jogador é o maior campeão europeu da história

Ídolo do Real Madrid, ex-atleta Francisco Gento morre aos 88 anos

Aberto da Austrália lamenta impacto de ¨caso Djokovic¨

Organizadores do evento afirmaram que precisam ¨aprender¨

Aberto da Austrália lamenta impacto de ¨caso Djokovic¨

Ferrari apresentará carro para temporada de 2022 da F1 em 17 de fevereiro

Escuderia lançará seu carro alguns dias depois da Aston Martin

Ferrari apresentará carro para temporada de 2022 da F1 em 17 de fevereiro

China desiste de vender ingressos para Olimpíadas de Inverno

Megaevento poderá ser acompanhado por algumas pessoas convidadas

China desiste de vender ingressos para Olimpíadas de Inverno

Djokovic não poderá competir em Roland Garros sem vacina

Só vacinados poderão participar do Grand Slam francês

Djokovic não poderá competir em Roland Garros sem vacina